Igreja do Nazareno Três Lagoas / MS

  • BANNER FELIZ IDADE 2014
  • BANNER FAMILIA 2 NOTE 2014
  • BANNER PAIS E FILHOS 2014
  • BANNER FAMILIA 1 2014
  • BANNER CASAL 2014

MENU

RÁDIO ONLINE

SEMEADORES DO REINO

SEMEANDO EM TERRA BOA!

VER TODOS OS SEMEADORES DO REINO

ESTUDOS BÍBLICOS

ESTUDO BIBLICO PARA INICIANTES (Pr Emerson Marques)
24/03/2012

Estudos BiblicosDEFINIÇÃO : Soteriologia é a união entre dois termos gregos "Soteria" que significa Salvação e "Logia" que significa Estudo. Portanto Soteriologia é o Estudo da Salvação.
INTRODUÇÃO :É fundamental que tenhamos convicção da nossa salvação. A Bíblia garante que podemos ter convicção da vida eterna. Sem esta convicção é impossível viver a vida cristã. Ao fazer o estudo, examine como está a sua convicção `a luz da Palavra de Deus.
 
A CONDIÇÃO DO HOMEM
 
Não se pode compreender a Doutrina da Salvação sem saber-se qual a condição do homem que dela necessita. Vejamos algumas situações do homem sem salvação :
Escravo do Pecado João 8 : 34 Disse Jesus : Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado.
O termo “escravo” significa estar cativo debaixo de poder absoluto, por compra, herança ou por guerra.
O termo “pecado” significa transgressão da lei divina.
Romanos 6: 18 Fostes libertos do pecado, e vos tornastes escravos da justiça.
As Escrituras nos mostra que o pecado pode ser dividido em duas classes, a saber:
Pecado por Comissão É um ato que não atende uma condição imposta, em outras palavras, é fazer o que Deus proíbe.
Morto Espiritual Rom. 5 : 12 Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram.
A morte espiritual é um tanto análoga a morte física.
A morte física é a separação entre o corpo e o espírito, quando o espírito abandona o corpo, o corpo morre. Da mesma forma, quando o espírito se separa de Deus, o espírito morre; da mesma maneira que o corpo sem o espírito está morto, o espírito sem Deus também está morto.
Separado de Deus, o homem está morto espiritualmente e impossibilitado, de tomar a iniciativa da salvação.
Separado de Deus Esta é outra condição do homem sem salvação
A conseqüência da queda de Adão foi à exclusão da presença de Deus. Isto é, Deus já não andava com Adão no Éden.
Gênesis. 3: 8 E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia: e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim.
Isaías 59: 2 Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus.
A VERDADEIRA IDÉIA DA SALVAÇÃO
 
Há diversas idéias a respeito da salvação. Vamos mencionar algumas das mais importantes e apontar a que está mais de acordo com a idéia apresentada por Jesus Cristo.
A Salvação e o Passado Atos 17: 30 Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todos os lugares se arrependam
Suponhamos que uma pessoa que não saiba nadar esteja prestes a afogar-se; mas, felizmente alguém o salva.
A salvação nada tem haver com o passado da pessoa salva.
A Salvação e o Futuro Imaginemos agora, um condenado a morte, porém perdoado por alguém cheio de bondade e amor.
Este perdão garante ao condenado o livramento do castigo merecido.
Esta salvação visou o livramento do castigo futuro.
A Salvação de Jesus Lc. 9 : 24 Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; porém qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará.
Suponhamos que temos um único grão de arroz no mundo em nossas mãos. Para salvar esta semente o que temos que fazer? A melhor maneira de salvá-lo é plantando-o, pois se colhera centenas deles.
A verdadeira idéia da salvação é, aquela que contempla mais aquilo para o que somos salvos do que aquilo de que fomos salvos.
A salvação ensinada por Jesus acentua mais o céu com toda a sua glória do que o inferno com todo o seu horror. Não somo salvos para escaparmos da morte, mas para gozarmos a vida eterna.
I Jo. 3: 2 Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser.
 

OS 2 PASSOS PARA A SALVAÇÃO  
Mateus. 4: 17 Daí por diante passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei - vos, porque é chegado o reino dos céus.
Mateus. 18: 3 E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças de modo algum entrareis no reino dos céus.
Cristo chegara ao mundo, vindo do seio do Pai. Podia descrever as glórias do céu para comover os homens. Mas a sua mensagem era a mesma : Arrependimento e Conversão.
Arrependimento O verdadeiro arrependimento envolve a pessoa toda, todo o seu ser, toda a sua personalidade. Arrependimento não é apenas mudança de pensamento.
João 3:3...Em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Nascer do novo significa "um novo ser uma nova pessoa ou seja uma nova personalidade". Estudaremos o arrependimento em cada um dos poderes da personalidade : Intelecto, Sensibilidade, Volição.
Intelecto Intelectualmente falando, o arrependimento é uma mudança na maneira de pensarmos :
Em Deus, Em nosso pecado, Nossa relação com o próximo Antes do arrependimento, o seu pensamento estava voltado para as coisas materiais, agora consiste em coisas espirituais e eternas.
Sensibilidade O prazer e a alegria deixa de fixar-se nas coisas terrenas deste mundo para fixar-se nas coisa espirituais.
No arrependimento o homem pensa e sente mais em relação a Deus do que em relação ao pecado. No Salmo 51 Davi, chora por seus pecados, mas lamenta muito mais a sua infidelidade diante de Deus.
“Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões segundo a multidão das tuas misericórdias. Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que mau à tua vista, para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares”.
Volição Antes do arrependimento o homem quer fazer a sua própria vontade, quer dirigir-se a si mesmo, quer andar no seu próprio caminho.
Através do arrependimento o homem passa a querer fazer a vontade de Deus e quer ser dirigido por ele, porque está convencido de que a direção de Deus lhe são as melhores.
Esta mudança na vontade do homem é, de fato, o elemento mais importante no arrependimento.
Conversão é uma palavra usada para exprimir o ato do pecador, abandonando o pecado, para seguir a Jesus.
A conversão pode e deve repetir-se todas as vezes em que o homem pecar e afastar-se de Deus, porque ela consiste no ato de abandonar o pecado e aproximar-se de Deus.
Emprega-se, geralmente, a palavra conversão para significar aquela primeira experiência do homem, abandonando o pecado paras seguir a Cristo.
 
OS 3 ELEMENTOS BÁSICOS PARA A SALVAÇÃO
 
Romanos. 3: 24 - 25 E são justificados gratuitamente pela sua Graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Deus o propôs para propiciação pela no seu Sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos sob a tolerância de Deus.
Os elementos básicos estabelecidos para salvação são:
 
1o. A Graça Tito 2: 11 Pois a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens.
Graça significa, primeiramente, favor, ou a disposição bondosa da parte de Deus. (Favor não merecido)
A graça de Deus aos pecadores revela-se no fato de que ele mesmo pela expiação de Cristo pagou toda a pena do pecado. Por conseguinte, ele pode justamente perdoar o pecado sem levar em conta os merecimentos ou não merecimentos. A graça manifesta-se independente das obras dos homens.
A graça é conhecida como Fonte da Salvação.
 
2o. O Sangue I João. 1: 7 O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.
Em virtude do sacrifício de Cristo no calvário, o crente é separado para Deus, seus pecados perdoados e sua alma purificada. Sangue é conhecido como a Base da Salvação.
 
3o. A Fé Efésios. 2: 8 - 9 Pois é pela graça que sois salvos, por meio da
Fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.
Pela fé reconhece o homem à necessidade de salvação, e pela mesma fé é ele levado a crer em Cristo Jesus.
Hebreus. 11: 6 Ora, sem Fé é impossível agradar a Deus, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.
A Fé conduz-nos ao Salvador, a Fé coloca a verdade na mente e Cristo no coração. A Fé é a ponte que dá passagem ao mundo espiritual, por isso concluímos que a Fé é o Meio para a Salvação.
 
A NATUREZA DA SALVAÇÃO
 
Vejamos os 3 aspectos da Salvação
 
1o. Justificação Justificar é um termo judicial que significa absolver, declarar justo. O réu, ao invés de receber sentença condenatória, ele recebe a sentença de absolvição.
Esta absolvição é dom gratuito de Deus, colocado a nossa disposição pela fé.
Essa doutrina assim se define : "Justificação" é um ato da livre graça de Deus pelo qual ele perdoa todos os nossos e nos aceita como justos aos seus olhos somente por nos ser imputada a justiça de Cristo, que se recebe pela Fé.
Justificação é mais que perdão dos pecados é a remoção da condenação.
Deus apaga os pecados, e, em seguida, nos trata como se nunca tivéssemos cometido um só pecado.
Portanto Justificação é o Ato de Deus tornar justo o pecador.
Romanos 3:24, 30 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus... Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.
A justificação é realizada no homem quando este passa a crer no Senhor Jesus Cristo como Salvador, logo que ele crê em Jesus, Deus o declara livre da condenação.
Cristo Nossa Imputação Rom. 4: 6...Bem-aventurado o homem a quem Deus imputa justiça sem as obras,...
Imputar é atribuir a alguém a responsabilidade pelos atos de outro. Isto é Jesus Cristo assumiu nossos pecados, Deus permitiu que Jesus pagasse nosso débito.
Cristo Nossa Substituição Gálatas. 3: 13 Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo ele próprio maldição em nosso lugar,...
Como nosso substituto, Cristo Jesus ganhou esta justiça para nós, morrendo em nosso lugar, a fim de nos salvar e garantir o perdão dos nossos pecados. Somos agora aceitos por Deus, porque nos foi creditada a perfeita Justiça de Cristo.
Justiça de Cristo I Coríntios. 1: 30 Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, Justiça, e santificação, e redenção.
Esta justiça foi adquirida pela morte expiatória de Cristo. Sua morte foi ato perfeito de justiça, porque satisfez a lei de Deus. Foi também um ato perfeito de obediência. Tudo isto foi feito por nós e posto a nosso crédito.
 
2o. Regeneração Regenerar significa: Restaurar o que esta destruído.
 
Quando se trata do ser humano, Regeneração é uma mudança radical, operada pelo Espírito Santo na alma do homem.
Esta Regeneração, atinge, portanto todas as faculdades do homem ou seja : Intelecto, Volição e a Sensibilidade.
O homem regenerado não faz tanta questão de satisfazer à sua própria vontade como de satisfazer à de Deus. Na Regeneração, ele passa a pensar de modo diferente, sentir de modo diferente e querer de modo diferente : tudo se transforma.
II Coríntios. 5: 17 Portanto, se alguém está em Cristo, Nova Criatura é; as coisas velhas já passaram, tudo se fez novo.
 
A BÍBLIA DESCREVE A REGENERAÇÃO COMO:
 
Nascimento João 3: 3 Jesus respondeu, e disse: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
Uma pessoa, para pertencer à aliança feita a Israel e gozar de todos os seus direitos, precisava somente nascer de pais judaicos. Para pertencer ao reino do Messias, contudo, uma pessoa precisa nascer de novo.
Ezequiel. 36: 26 Dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro em vós um espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.
 
Vivificação A essência da regeneração é um nova vida concedida por Deus, mediante Jesus Cristo e pela operação do Espírito Santo.
João. 10: 10...Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.
ViverÉ estar com vida
VivificarÉ dar vida
 
Vivificação É o Ato, a Ação ou o efeito de viver. É usufruir da vida espiritual que Deus concedeu.
Purificação Ato ou efeito de purificar
Tito 3: 5 Não por obras de justiça que houvéssemos feitos, mas segundo a sua misericórdia, ele nos salvou mediante a lavagem da regeneração e renovação pelo Espírito Santo.
A alma foi lavada completamente das imundícias da vida de outrora.
 
3o. Santificação Santificar é tornar sagrado, separar, consagrar, fazer santo
A Palavra santo tem muitos significados:
Separação Representa o que está separado de tudo quanto seja terreno e humano.
I Pedro. 3: 11 Aparte-se do mal, e faça o bem; busque a paz, e siga-a.
 
Dedicação Representa o que está dedicado a Deus, no sentido ser sua propriedade.
Romanos. 12: 1 Portanto, rogo-vos, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
 
Purificação Algo que separado e dedicado tem de ser purificado, para melhor ser apresentado. (imaculado)
II Coríntios. 7: 1 Ora, amados, visto que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a impureza tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santificação no temor de Deus.
 
Consagração No sentido de viver uma vida santa e justa.
Levítico. 11: 44 Eu sou o Senhor vosso Deus; consagrai-vos, e sede santos, porque eu sou santo.
Muito acentuada se acha no Velho Testamento a idéia de que a santificação consta de uma relação especial com Deus. As coisas consagradas ao Senhor eram consideradas santas:
Arca do Concerto, O Templo, O Tabernáculo, O Altar, Os Vasos, Os Sacerdotes.
No Novo Testamento, a idéia é a de que a santificação consiste no processo do homem ser perfeito como Ele é perfeito.
Jesus ensinou que o homem deve procurar aperfeiçoar-se cada vez mais. “Bem-aventurado os limpos de coração, porque eles verão a Deus”.
Diante do exposto, podemos estabelecer o seguinte:
 
Santificação é um processo O crente precisa esforçar-se para progredir em santificação.
II Coríntios. 7: 1 Ora, amados, visto que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a impureza tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santificação no temor de Deus.
O processo de santificação pode ser comparado ao crescimento de uma pessoa, porém condicionado à sua vontade.
 

OS MEIOS DIVINOS DE SANTIFICAÇÃO  
O Sangue de Cristo I João. 1: 7 O sangue de Jesus Cristo, seu filho, nos purifica de todo o pecado.
O Espírito Santo Filipenses. 1: 6 Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou boa obra a aperfeiçoará até o dia de Jesus Cristo.
A Palavra de Deus João. 17: 17 Santifica-os na verdade a tua palavra é a verdade.
 
VEJAMOS A SEGUIR O QUE O ESPÍRITO SANTO SANTIFICA NO CRENTE
 
I Tessalonicenses. 5: 23 O mesmo Deus de Paz vos santifique completamente. E todo o vosso espírito, alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.
 
O Corpo Romanos. 12: 1...que apresenteis os vossos corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
A Alma I Pedro. 1: 22 Tendo purificado as vossas almas
Espírito Salmos. 78: 8...Geração de coração instável, e cujo espírito não foi fiel a Deus.
Glorificação Glorificar significa honrar, dar glória.
 
Deus em seu plano de salvação, manifestou a sua glória através de Cristo Jesus, o pecador pode experimentar esta manifestação pelo Espírito Santo.
O ato final do processo da salvação será a glorificação do crente por Deus.
A Glória de Deus em NósEmtodo o tempo a glória de Deus demonstra poder, autoridade, virtude e acima de tudo consagração.
É manifestada através da fé.
Foi nos dada através de Jesus e serve para manter a unidade da Igreja.
João. 17: 24 Pai, quero que onde eu estiver, estejam também comigo aqueles que me deste, para que vejam a minha glória, a glória que me deste, porque me amaste antes da criação do mundo.
A Glorificação do Corpo Rm. 8: 30 E aos que predestinou, a estes também chamou, e, aos que chamou, a estes também justificou; e, ao que justificou, a estes também glorificou.
A Glorificação do corpo se dará por ocasião do arrebatamento, nosso corpo será transformado em um corpo glorioso. Neste ato, se dará a glorificação, quando estaremos em corpo incorruptível, e assim, estaremos para sempre com o Senhor.
Conhecemos que a glória da roseira é a rosa e que a de qualquer árvore são os frutos; mas a glória do crente o que será?
I Coríntios. 13: 12 Agora vemos em espelho, de maneira obscura; então veremos face a face. Agora conheço em parte; então conhecerei como também sou conhecido.
Romanos. 8: 18 Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar coma glória que em nós há de ser revelada.
 
A GLORIFICAÇÃO É O OBJETIVO DE NOSSO SERVIÇO REALIZADO
I Coríntios. 15: 58 Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.
O trabalho do cristão deve ser realizado da melhor forma possível.
Com Amor, dedicação, voluntário, humilde, alegria, sacrificial, sabedoria etc...
 

A DOUTRINA DO BATISMO O batismo é talvez o assunto mais controvertido na Bíblia. Por séculos ele tem sido um campo de batalha teológico em que muitos nobres soldados da cruz lutaram, sangraram e morreram. Talvez mais sangue de mártires tem sido derramado por causa do batismo que por qualquer outra coisa.
 
1. O BATISMO É UMA ORDENANÇA DA IGREJA.
 
Para prova disto oferecemos as seguintes passagens:
 (1) Mateus. 28:18-20.
No lugar supra, como é bem sabido, temos o relato de Mateus da última comissão de Cristo, comumente chamada de grande comissão.
A quem estava Cristo falando quando Ele pronunciou Sua última comissão? A promessa que a ela se junta mostra que ele não estava falando aos apóstolos como indivíduos. Ele prometeu sua presença até o fim dos séculos. Certamente ele não pensou que os apóstolos viveriam tanto assim. Então ele deve ter-se-lhes dirigido em alguma capacidade oficial ou corporada. Dirigiu-se-lhes como a um corpo discente apostólico que era para se perpetuar? Dificilmente pensamos assim, desde que nada se diz sobre a perpetuação do oficio apostólico. Para ser membro dos doze originais foi necessário que alguém tivesse acompanhado os demais desde o batismo de João e tivesse sido testemunha da ressurreição (Atos 1:21-22). Paulo foi um apostolo num sentido levemente mais amplo: em que ele teve uma comissão pessoal de Cristo, que lhe apareceu e lhe comissionou na estrada de Damasco. Num sentido ainda mais amplo outros se chamam apóstolos. Mas não se dá um indicio da perpetuidade do ofício até o fim dos tempos, nem há um indicio que o ofício pudesse ser transmitido de um para outro.
Cremos que Cristo falou aos apóstolos como constituindo a igreja. Isto cremos porque:
 A). A Igreja é o Corpo de Cristo
Assim é representada muitíssimas vezes para que se precise de mencionar referências escrituristicas. Desde que a cabeça executa as obras através do corpo, cremos que Cristo cometeu sua obra ao seu corpo.
B). A Igreja é o Templo do Espírito Santo.
Vide 1 Coríntios. 3:1-16. Nesta passagem, Paulo não estava falando do corpo humano do crente, o qual noutro lugar se chama o templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6:19); mas falando plenamente da igreja. Este capítulo trata do edifício da igreja.
Desde que a Igreja é o templo do Espírito Santo e o Espírito está aqui para dirigir a obra de Cristo, parece que é por meio de Igreja que ele fará sua obra; logo, que foi à Igreja que Cristo deu a grande comissão.
C). A Igreja é coluna e fundamento da verdade.
Vide 1 Timóteo. 3:15. A verdade toda está contida na grande comissão. Desde que a Igreja é coluna e fundamento da verdade, a comissão deve ter sido confiada a ela.
 (2) 1 Coríntios. 12:13.
Reza a escritura: “Num Espírito fomos todos batizados num corpo”. Sustentam alguns que esta passagem se refere ao batismo no Espírito Santo. Não há fundamento escrituristico para tal noção. Não há na escritura indicio algum que cada crente receba o batismo do Espírito na ou depois da regeneração. Isto é uma presunção pura e simples.
Esta passagem dignifica que estar no ou sob o poder do Espírito Santo fomos todos trazidos pelo Senhor ao batismo e assim fomos feitos membros de seu corpo, a igreja local. Assim o batismo é a porta cerimonial para a Igreja.
Sendo isto verdade e sendo também verdade que a Igreja é um corpo democrático, segue-se que ela tem o cargo de sua própria porta; ou, em outras palavras, a igreja tem autoridade de receber membros. Está isto implicado na exclusão dos pecaminosos e na sua recepção outra vez sê se arrependem e quando se arrependem (1 Cor. 5:1-7; 2 Cor. 2:6-8). Em também está implicado na injunção de Paulo à Igreja de Roma: “ao que está fraco na fé recebei-o vós” (Rom. 14:1). Assim o batismo é uma ordenança da igreja.
 (2) O Simbolismo da Ordenança Exige fé por parte do batizando.
 O simbolismo do batismo está claramente estabelecido em Romanos. 6:2-5 e Colossenses 2:12. ele significa nossa morte para o pecado e ressurreição para andarmos em novidade de vida. Semelhante experiência só pode vir por intermédio da fé. A passagem de Colossenses nos informa que ela vem “pela fé no poder.
Todas as passagens que nos contam que a salvação não é de obras, tais como Romanos. 4:1-6, 11:6; Efésios. 2:8-10; Tito 3:5, mostram que o batismo não tem eficácia salvadora. O batismo é uma obra, um ato físico. Jesus implicou, distintamente, que é uma satisfação da justiça (Mateus. 3:15). Está assim estabelecido como uma obra de justiça.
Em 1 João 1:7 e todas as passagens iguais, por mostrar que o sangue de Jesus purifica do pecado, proíbe a crença que o batismo tem poder purificador. E sabemos que nada há no batismo que lhe dê poder de atualmente  purificar a alma.
Ao considerarmos esta passagem, notemos:
A). A pergunta feita no verso precedente não é a restrita: “Que devo fazer para me salvar?” de Atos 16:30, mas a ampla: “Que faremos?” Logo não é estranho que tenhamos uma resposta mais ampla do que Atos 16:31.
B). O arrependimento está colocado antes do batismo e quando alguém se arrependeu, já está salvo e portanto não pode ser batizado para poder salvar-se. O arrependimento é uma mudança completa de mente baseada numa nova disposição que foi implantada pelo Espírito Santo. O arrependimento e a fé  são inseparáveis e simultâneas.
C). A passagem não diz: “Sede batizados para ou na recepção da remissão de pecados” e o que afirma que este é o sentido deve arcar com o ônus da prova.
D). O sentido da passagem, como interpretada à luz do teor geral da Bíblia e seu ensino é:  “Sede batizados para ou no reconhecimento, simbolizando ou mostrando a remissão dos pecados.”
 

A CEIA DO SENHOR   A Ceia do Senhor é a segunda ordenança da igreja. Foi instituída por Cristo na véspera de Sua traição e crucificação. E Cristo indicou que ela era para ser observada até Sua volta.
 

O SIGNIFICADO SIMBÓLICO DA CEIA DO SENHOR  
1. É UMA COMEMORAÇÃO DA MORTE DO SENHOR
Jesus disse:  “Fazei isto em memória de mim.” (1Coríntios. 11:24). A Ceia do Senhor, então, tende a refrescar nossas mentes quanto à morte vicária de Cristo.
 
2. É UMA PROCLAMAÇÃO DE SUA MORTE
Jesus também disse: “Todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor até que Ele venha.” (1 Coríntios. 11:26). De modo que a Ceia é uma ordenança predicante tanto como comemorativa. Este fato favorece observar-se a ordenança na presença de toda a congregação em vez de despedir-se à  congregação e fazer a igreja observá-la privadamente. Desde que é uma ordenança predicante, testemunhe-a quem quiser.
3. É UM LEMBRETE DA SEGUNDA VINDA DE CRISTO
Notamos na passagem há pouco citada as palavras: “Proclamais a morte do Senhor até que Ele venha.” Assim, todas as vezes que se observa a ordenança somos lembrados que a estamos observando por causa da ausência da presença corporal de Cristo e que algum dia o simbólico dará lugar ao literal.
 
4. SIMBOLIZA O FATO QUE SOMOS SALVOS POR NOS ALIMENTARMOS DE CRISTO
Já frisamos  que a nossa alimentação de Cristo não é literal. Participamos dEle pela fé e assim somos salvos, o eu está simbolizado na Ceia do Senhor.
 
5. FIGURA NOSSA NECESSIDADE DE PARTICIPARMOS CONSTANTEMENTE DE CRISTO PARA SUSTENTO ESPIRITUAL
A repetição desta ordenança manifesta que a fé, pela qual participamos de Cristo, não é meramente uma coisa momentânea, mas contínua, pela qual a alma é sustentada constantemente.
 
6. ASSINALA A UNIDADE DA IGREJA
Em 1 Coríntios. 10:16-17 lemos:  “O cálice  de benção que abençoamos, não é uma comunhão de (ou participação em) o sangue de Cristo?  O pão (ou fatia) que partimos não é uma comunhão de (ou participação em) o corpo de Cristo? Vendo que nós, que somos muitos, somos um pão (ou fatia), um corpo: porque todos participamos de um pão (ou fatia).”
            Estes versos aventam o fato que a unidade da igreja se manifesta pelos membros participantes de uma fatia. Por essa razão o pão deverá ser trazido à mesa em uma fatia ou pedaço, doutra maneira o tipo não é tão impressivo.

 

CONTEÚDO RELACIONADO:
Entrega  salvação  perdão  justificação  biblia  Palavra  Deus  pecador  escravo    
VEJA MAIS ESTUDOS BÍBLICOS

SIGA-NOS NA REDE

facebook twitter orkut vimeo

VÍDEO DE BOAS-VINDAS:

Rev. Fabiano Loureiro
Pastor Titular

BOLETIM

Cadastre-se para receber notícias e novidades da nossa igreja.


Bíblia Online
VER TODOS OS VÍDEOS

(67) 3524.8302 / 3524.1061 / 3524.1366
© 2011 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
IGREJA DO NAZARENO TRÊS LAGOAS